quarta-feira, 18 de maio de 2011

Monte Cassino - 18 de Maio de 1944

Batalhas

Monte Cassino - 18 de Maio de 1944
Vitória Polonesa
Durante a Segunda Guerra Mundial, a região de Cassinate foi palco de uma das mais amargas e sangrentas batalhas até então travadas em solo italiano.

Desde as montanhas de Mainarde e Aurunci até o Mar Tirreno, ocorreram violentos combates durante mais de nove meses.

Os Aliados planejavam no seu avanço a partir do Sul de Itália em 1943, atingir Roma rapidamente, porém, "tropeçaram" em Monte Cassino.

A população civil foi retirada à força pelas tropas alemãs, provocando um penoso êxodo, com o abandono de seus bens e a perda da maior parte de suas casas, destruídas nos combates.

Também conhecida como a Batalha de Roma, ou Batalha de Cassino, Monte Cassino caracterizou-se por uma série de quatro duros embates, travados entre Alemães e Aliados. Estes precisavam romper as defesas alemãs, a chamada “Linha Gustav” para chegar a Roma.
    A Abadia de Monte Cassino ainda intacta


O que os Aliados não esperavam, era uma resistência tão tenaz por parte das forças do Eixo. Além disso, a campanha foi marcada por vários desentendimentos estratégicos entre as forças da coalizão, com um indisfarçado antagonismo entre americanos e britânicos.

Em 15 de Fevereiro, um maciço bombardeio aéreo aliado despejou mais de 1.400 toneladas de bombas e destruiu completamente a belíssima Abadia de Monte Cassino, localizada no alto de um pico da cadeia de montanhas. Considerado por muitos, como com uma estupidez que reduziu a ruínas um reconhecido patrimônio histórico e religioso, deixando mortos sob seus escombros centenas de civis inocentes que haviam procurado ali um abrigo, por considerarem o mosteiro um santuário seguro e resguardado de ataques.


    O que restou: O Mosteiro após sua destruição

O bombardeio foi baseado no temor (sem nenhuma comprovação posterior) de que a Abadia estava sendo utilizada como posto de controle e observação pelos Alemães.


    Paisagem desoladora: Aqui jaz uma Abadia

Quase um mês depois, em 15 de Março, um novo bombardeio aliado também arrasava a cidade de Cassino, situada no sopé da montanha.

Da mesma forma, não foram poupadas as cidades localizadas junto à Linha Gustav, de Mainarde até Minto, destruindo de 50 a 100 % de tudo o que ali antes havia, resultando em mais de 10.000 mortos civis, e cerca de 50.000 militares.

Os peritos em história militar defendem a tese de que, na realidade, foram duas as batalhas pelo controle do monte que dominava a planície estrategicamente localizada no caminho para Roma. O desenrolar voraz das ações de combate, contudo, acabou emendando as duas etapas em uma só batalha.


     Fallschirmjägers - Metralhadora MG

Os alemães, conhecendo o valor estratégico do monte, aquartelaram três divisões de infantaria e duas blindadas.

     Fallschirmjägers de prontidão
Participaram, no ataque ao objetivo alemão, o Corpo Expedicionário Francês Livre (com duas divisões “magrebinas” - uma marroquina e outra argelina), o 2º Corpo Polonês Livre, o 2º Corpo de Exército dos EUA, com duas divisões de infantaria, e o 10º Corpo de Exército Britânico, com três divisões.
    Soldado Marroquino afiando sua longa baioneta

Atacaram no sentido norte - sul e atingiram alguns objetivos estratégicos alemães e determinados setores operacionais de controle ao monte.


   Soldados Britânicos


Algumas colinas, rios e povoados a nordeste e a leste da montanha fortificada também foram tomados, sempre em encarniçados combates, com a destruição de pistas de aviação e armazéns logísticos dos alemães.


   Soldados Poloneses lançam suas granadas


Próximo ao final da batalha, os soldados alemães ainda em combate - em torno de 600, em sua maioria Fallschirmjägers, os temidos paraquedistas alemães - que até então haviam realizado um defesa feroz, receberam ordens para realizarem um gradual recuo. A situação, pelo lado germânico, estava ficando insustentável.

Em 18 de Maio de 1944, depois de muitas tentativas mal-sucedidas por parte das forças aliadas, o segundo Corpo Polonês, após um sangrento combate travado durante sete dias, conseguiu bravamente conquistar Monte Cassino, o ponto estratégico que bloqueava o acesso a Roma e aos planos estratégicos aliados. Oitocentos e sessenta soldados poloneses morreram e 2.800 ficaram feridos.


   Corneteiro Polonês - Vitória

A Batalha de Monte Cassino assim se encerrava, com seu desfecho final realizado por forças polonesas, ficando para a história como uma das mais decisivas batalhas da II Guerra Mundial.


A Batalha de Cassino foi a mais encarniçada, a mais horripilante e, num certo sentido, talvez a mais trágica etapa da guerra na Itália."
 General Mark Clark -  Exército dos EUA

Inscrição no monumento em Monte Cassino

Nós soldados poloneses 
Por nossa liberdade e pela sua 
Demos nossas almas a Deus 
Nossos corpos ao solo da Itália 
E os nossos corações à Polônia.


Vídeo: Grandes Batalhas - Monte Cassino

Fontes:
www.polamjournal.com
www.battagliamontecassino.it
www.calvin.edu/academic/cas/gpa/cassino.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Batalha_do_Monte_Cassino

Nenhum comentário:

Postar um comentário